segunda-feira, 31 de dezembro de 2012


"Fiz tanta coisa este ano. Exagerei na dose. Perdi a paciência. Voltei atrás. Rompi e refiz laços tantas vezes. Comprei briga e o preço foi caro. Esqueci. Perdoei. Machuquei e fui machucada. Disse sim, não, talvez, espere um pouco, deixa pra lá. Aprendi coisas novas e esqueci coisas velhas. Comecei projetos errados. Conclui trabalhos acertados. Tomei porre. Engoli uma dose. Levei um susto. Tive equívocos. Errei os erros previstos e não cometi todos os acertos programados. (...) Molhei travesseiros e disse que era a última vez. Tornei a molhar várias outras últimas vezes. Amei rápido demais. Esqueci devagar. Perdi o encanto. Sem querer o encontrei. Fui tola demais. Muito esperta. Ganhei o jogo. Perdi o amor e o mundo quase acabou na minha cabeça. No outro dia, no mesmo lugar, estava o mundo igualzinho eu deixei. Cantei. Chorei. Dancei. Fiquei emburrada. Sai sem rumo. Não fiz nada sobrenatural. Não salvei o mundo e não consegui me salvar. Vivi os erros. Comemorei os acertos. (...) Agora, quero apertar o play para o novo que esta á minha porta e fazer o que ainda falta. Com sonhos novos. Doses de coragem sem saber de muita coisa, aliás, eu só sei que uma horinha dessas, eu chego a algum lugar. Roma, Paris, ou talvez apenas no meu quarto. Feliz, sorte, coragem, fé ou sei lá o quê, para tudo que começa de novo. "
Não existem atrasos na vida, as pessoas chegam na hora certa, nem antes, nem depois. Há palavras inesperadas que demoramos para aprender a dizer, mas quando aprendemos a delicadeza é natural. O dom da vida é nos banhar de surpresas e a cada dia que passa eu me encanto mais pelos momentos vividos, palavras e gargalhadas que dinheiro nenhum paga.


sábado, 22 de dezembro de 2012

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...